Muita gente fala que sofre de ansiedade. A dificuldade em desligar, simplesmente não pensar no que pode vir a acontecer amanhã, na próxima semana ou no “futuro” torna a ansiedade algo ruim.

Já falamos por aqui, no post “5 sinais de que a ansiedade está te atrapalhando”, que na verdade a ansiedade nos alerta às situações de perigo e, assim, ela é essencial para a manutenção da vida.

Também já explicamos que o cérebro não compreende adequadamente o que é real e o que é imaginário. Então, situações que muitas vezes ainda não aconteceram acabam aguçando e despertando nossa ansiedade.

E aí você deve estar se perguntando: quer dizer que eu fico tão mal, tão ansiosa, por algo que sequer pode vir a existir? A minha resposta é: EXATAMENTE!

E agora, uma ótima notícia: assim como nosso cérebro pode não distinguir o real do imaginário, há estratégias para “mostrar a ele” essas diferenças.

É uma questão de aprendizado, de treino e, por fim, de frequência. Não são coisas fáceis, mas são simples. E também não é de uma hora para a outra que você não será mais ansioso(a).

Aliás, talvez você nem perceba o momento em que conseguir controlar a ansiedade. Em um “belo” dia, apenas entenderá que você mudou sua reação diante de uma especulação de futuro.

E, garanto, é maravilhoso! 

Embora a gente não consiga se manter 100% longe da ansiedade, quando encontramos a medida, ela já não domina mais nossas atitudes, ou seja, não nos movemos de acordo com o que achamos que irá acontecer.

Agimos no presente, no que acreditamos de verdade.

Espero que nesse ponto do texto você não esteja ansioso(a) para saber quais são essas técnicas e atividades… Então, vamos a elas:

1. Exercícios físicos

Eles não só fazem bem ao corpo, como também à mente. Em grande parte das atividades físicas, quando você realiza movimentos corporais, precisa estar “inteiro(a)” para aquela atividade.

Essa “entrega” faz com que você foque no presente. E isso faz toda a diferença para a diminuição da ansiedade.

Além disso, os exercícios físicos aumentam a produção de substâncias que geram a sensação de bem-estar e prazer.

A combinação desses dois benefícios coloca os exercícios físicos como uma tática bastante indicada para se tornar rotina e afugentar a ansiedade – fora o já conhecido benefício para o corpo! Portanto, você ganha duas vezes!

É claro que você precisa encontrar algo que goste e que você esteja apto fisicamente para desempenhar: vale musculação, crossfit, caminhada, corrida, dança, funcional, bike, etc.

2. Terapia psicológica

Mudar sozinho, quando se está em sofrimento, é muito difícil. A ansiedade exacerbada é, sem dúvidas, um sofrimento.

Assim, uma das possibilidades para que você consiga sair desse estado de ansiedade frequente e que causa tantos danos, é começar uma terapia psicológica.

O psicólogo está apto para ajudar nessa tarefa de melhorar seu estado. Isso porque ele estudou e pesquisou sobre o comportamento humano durante anos.

O autoconhecimento, certamente, é um dos principais ganhos de qualquer pessoa que busca e imerge na terapia psicológica. 

E se autoconhecendo é possível entender os gatilhos de sua ansiedade, perceber quando está aumentando essa sensação e, com tempo, aprender a retomar as rédeas quando a ansiedade quiser tomar conta.

Mais uma vez: não será instantaneamente e nem será fácil. É um processo trabalhoso, em alguns momentos até dolorido, entretanto, completamente recompensador, transformador e gratificante.

Ah, a terapia psicológica pode te ajudar em várias outras questões. Se você quer saber mais, leia o post “Psicologia clínica e seus benefícios para as pessoas”, que fiz pensando em esclarecer como ela pode contribuir para a saúde mental.

3. Mindfulness

“Mind o quê?” O nome começou a circular há menos tempo aqui no Brasil, e se você não tem ideia do que se trata, vamos ajudar.

A tradução para o português da palavra mindfulness é “atenção plena”. O termo se refere a um estado mental de consciência e atenção ao momento presente, sem julgamentos ao que vem ocorrendo ao redor.

Abordamos o conceito, vários benefícios e exemplos de mindfulness no cotidiano em um outro post aqui do blog. Ele traz bastante informação sobre o assunto e o aprofundamento sobre a atenção plena.

Mas, então, como o mindfulness contribui para a diminuição da ansiedade? 

Como falamos, quando a projeção do futuro torna-se mais importante que o momento presente, a ansiedade toma conta de nós. 

Aprender a praticar o mindfulness é uma das maneiras mais eficientes e eficazes para perceber e manejar os pensamentos ansiosos.

Há milênios as práticas meditativas vêm sendo utilizadas para termos mais clareza mental sobre os nossos pensamentos e consequentemente reduzir nosso sofrimento.

São elas que nos ajudam a aprimorar nosso estado de atenção plena.

E os benefícios vão muito além da diminuição da ansiedade! O autocontrole, a redução do estresse, o entendimento sobre empatia e auto compaixão, por exemplo, são alguns deles.

Se a ansiedade faz parte do seu cotidiano, saiba que você não é o(a) único(a). Afinal, como dissemos em outro post, a ansiedade é um dos três desafios emocionais dos tempos modernos

Porém, dedicando tempo a você, ao seu autoconhecimento e a novas possibilidades, ela é superável!

O Euciente é um instituto que pode contribuir com a sua busca. Além de terapia psicológica, oferecemos cursos de mindfulness de oito semanas. 

Entre em contato com a gente e saiba mais!